5.8.05

why can’t we be ourselves like we were yesterday?

É. Queriam o single de 8 days a week, mas disseram que está em falta desde 1980 e cacetada. Era mesmo tudo o que eu queria, mas como é peça de colecionador e eu não queria dar a conhecer o fetiche, fingia que nem via. Mas quero, sabe, com encarte completo, lindinho, mas agora lá emoldurado, agora não dá, "está até pendurado, moça". Eu bem que tentei, mas era a estação da estiagem dos sentidos e umas marionetes estridentes, cheias de vocabulários no infinitivo me confundiram. Mas não tem como não se enternecer, parada no corredor vejo que lá está, reluzindo. E I hear them say: hey you've got to hide your love away. Fiquei espantada: isso lá é coisa de paranóico, não é não? Pensei em consultar um especialista, mas duvido que algum precise o quanto tempo agüenta o prego? Fui logo no mais sábio entre os sábios doutores: "Às vezes não sara nunca. Às vezes sara amanhã". Eu o ouvi com atenção novamente, duplicando, mas mesmo assim, não adiantou ele foi incapaz de coagular o tal álbum pra mim.
Mais sábias foram as recomendadas caminhadas, afinal, o ano é sem dúvida dos dias azuis e o céu traça o itinerário, mesmo que nem sempre tenha escala em Pasárgada: atrás dos meus próprios passos, sucessivamente: agora é agora, e agora? Agora eu era um louco a perguntar: o que é que a vida vai fazer de mim?

3 O mundo em ti:

Blogger .eva said...

juju, que bonito, escrito. os dias azuis, menina! como os daqui não há (depois conto mais). e com trilha certa e incerta pros passos então, demais. sabe que eu te amo né? (e nada de hide, love, away). tá? é tudo seu, tudinho.

2:21 AM  
Blogger senhoritah said...

Evi, olha:
Sorte de hoje:
O coração é mais sábio do que a razão
(eu estava sem acentos. o orkut está sem pontuação... e do 'hannah e suas irmãs': "o único sentido da vida é que ela não faz sentido algum."
Aquele beijo, inté loguinho no méssi, que meu computador volta é hoje, ieba.

2:43 PM  
Blogger senhoritah said...

sarou.

10:53 AM  

Postar um comentário

<< Home